SE SE COÇA… ATUE

Em determinados momentos é complicado detetar com precisão qual é o motivo que leva o seu cão a coçar-se tanto. Isto pode estar relacionado com várias causas e o seu veterinário tem conhecimento de todas. Consulte-o perante qualquer suspeita!

Consulte um especialista se o seu cão manifesta alguma das seguintes afeções:

  • Pele seca, avermelhada ou escamada.
  • Se se lambe e/ou se coça muito (corpo, ouvidos, olhos, nas almofadas das patas, etc).
  • Vomita e/ou tem diarreia.

 

Detetá-las é fácil e o seu veterinário pode explicar-lhe como preveni-las. Evite consequências mais graves com visitas frequentes à sua clínica veterinária.

Se se trata de uma afeção alérgica, devemos tratá-la o quanto antes para que não se transforme numa coisa mais grave e possa diminuir a qualidade de vida do nosso amigo.

Existem imensas causas que podem explicar este tipo de afeções que alteram o comportamento do cão: os conhecidos parasitas (pulgas, carraças, ácaros) e outras causas também bastante comuns, tais como o pólen, o pó, os medicamentos, o perfume, os produtos de limpeza, alguns alimentos, etc.

O veterinário poderá identificar ou descartar qualquer uma destas causas e colocar outras que sejam possíveis, já que um problema de pele na pelagem do seu cão significa, muitas vezes, muito mais do que aquilo que se vê. Na verdade, é possível que aquilo que se observe externamente tenha uma origem interna desencadeada por uma reação alérgica ante as proteínas inofensivas presentes no alimento.

Se acha que o seu cão pode sofrer de uma alergia alimentar, deve procurar reconhecer que alimentos são aqueles que desaencadeam o problema. Não siga os conselhos de qualquer pessoa e não se fie de tudo aquilo que lê na internet. Consulte sempre o seu veterinário!

Em muitos casos é possível encontrar uma solução nutricional adequada para os problemas dermatológicos do seu cão. Os nossos produtos especializados Royal Canin oferecem a nutrição mais adequada para cada caso.

 

DURANTE A MUDANÇA DE ESTAÇÃO… PRESTE ATENÇÃO! ALERGIAS E DOENÇAS PRIMAVERIS

A primavera já está aqui! Com ela chega o sol, os campos ficam verdes e aparece… algum visitante não desejado.

Agora que começa o bom tempo proteja o seu gato de doenças, alergias e parasitas habituais.

Parasitas externos

Apesar de poderem incomodar em qualquer época do ano, com o calor é normal que o nosso gato saia mais de casa para brincar na relva e interatuar com outros animais e, por isso, pode apanhar com maior facilidade pulgas, carraças e tinha.

  • Pulgas: não vai poder parar de se coçar e vai lamber-se com mais intensidade, o que pode produzir inflamação na pele, por coçar-se, e uma maior ingestão de pelo. Para além disso, são bastantes os casos de gatos que têm alergia à própia picadura das pulgas. Por isso, se o seu gato tem estes “clandestinos”, vai ter que tratá-lo com produtos adequados para ele. E não se esqueça do seu entorno! Especialmente onde dorme, já que aí podem haver ovos de pulgas e voltar a infestar-se.
  • Carraças: se o seu gato tem acesso ao exterior, repare no pescoço e nas orelhas, dado que costumam agarrar-se nestas zonas às quais ele não chega com facilidade quando se limpa. Apesar de incomodativas, são fáceis de eliminar com um tratamento específico, mas não fique parado, porque transmitem doenças muito graves.
  • Tinha: estes fungos microscópicos causam uma afeção dérmica muito resistente, estendida e contagiosa.

Alergias

Tal como as pessoas, os gatos também podem ter alergia: reação imunológica a uma determinada substância que não é nociva para outros indivíduos. Há muitas coisas comuns que podem produzir-lhe alergia ao nosso amigo, como vários perfumes ou produtos de limpeza, vários alimentos, além de outras causas específicas da primavera. Destas causas estacionais podemos destacar:

  • Pólen de várias plantas: nesta época do ano é quando existe mais quantidade de pólen no ambiente. Se o nosso gato é alérgico, na primavera irão acentuar-se os sintomas. Além disso, se tem acesso ao exterior, terá mais probabilidades de entrar em contacto com o pólen ao qual seja alérgico. Este tipo de alergias produzidas pela inalação de determinados elementos alérgenos podem provocar lesões na pele e um coçar intenso. Não se descuide e peça conselho ao seu veterinário o mais rápido possível!
  • Picaduras de pulga e produtos antipulgas: como já comentámos, as pulgas podem ocasionar com a sua picadura uma alergia no seu gato, irritando e inflamando a sua pele. Além disso, alguns produtos antipulgas podem causar-lhe também reação, razão pela qual lhe recomendamos que siga as indicações do fabricante e do veterinário. Também lhe recomendamos prevenir durante todo o ano as picaduras, ou bem com coleiras antiparasitas ou com pipetas.

Como saber se o seu gato tem alergia?

Há muitos tipos de alergia e, por isso, sintomas diferentes, motivo pelo qual deve prestar especial atenção se se coça muito, se a pele envermelhece, se lhe falta pelo, se tem a pele inflamada, se vomita ou tem diarreia. Nestes casos, leve-o ao veterinário para que lhe possa fazer as provas necessárias.

É muito usual que se a sua mascote tem um tipo de alergia, seja também mais sensível a outros alérgenos ou doenças. Quer estar tranquilo perante a chegada do bom tempo?

  • Fortalecendo o seu sistema imunitário com uma alimentação rica em antioxidantes e ácidos gordos da série omega 3 poderá ajudar as defesas do seu gato a manterem afastadas determinadas bactérias e certos vírus.
  • Prestando-lhe atenção à pelagem e ao comportamento do seu gato, poderá detetar a tempo problemas fruto de uma alergia e acudir à consulta veterinária para que, com o tratamento adequado, o seu gato desfrute ao máximo da primavera.

AS ALERGIAS E AS DOENÇAS PRIMAVERIS APARECEM DURANTE A MUDANÇA DE ESTAÇÃO… PRESTE ATENÇÃO!

Com a estreia da nova primavera chega o sol, os campos ficam verdes e aparece algum “visitante” não desejado.

Com a chegada do bom tempo proteja o seu cão dos parasitas, das alergias e doenças habituais.

Parasitas externos

Na verdade podem ser incomodativos durante todo o ano, mas com o calor é mais habitual que o nosso cão vá mais aos parques ou ao campo e interatue com outros cães, o que aumenta as probabilidades de apanhar pulgas e carraças. Também se pode contagiar de fungos tipo tinha.

 

  • Pulgas: produzem uma comichão intensa, motivo pelo qual não vai poder deixar de se coçar. Este coçar intenso pode produzir inflamação da pele, em casos extremos até podem criar-se feridas. Além disso, são bastantes os casos de cães que têm alergia à própria picada das pulgas. Por esta razão, quando o seu cão tenha estes “clandestinos”, vai ter que tratá-lo com produtos adequados para ele e recomendados pelo seu veterinário. Também não se deve esquecer do entorno, especialmente onde dorme, já que os ovos de pulga podem permanecer ativos durante meses e voltar a infestá-lo!
  • Carraças: transmitem doenças muito graves e alimentam-se de sangue, por isso é importante o tratamento o mais rápido possível. Para comprovar a sua presença, observe o pescoço e as orelhas do seu cão, já que aqui se notam com mais facilidade.
  • Tinha: é uma doença produzida por uns fungos microscópicos que causam uma afeção dérmica muito resistente e contagiosa. Ante qualquer calvície rara, vá ao veterinário!

Alergias

Tal como o ser humano, o cão também pode ter alergia, que é uma reação dos organismos perante uma substância que o sistema imunitário interpreta como nociva. Entre as substâncias comuns que podem produzir uma reação alérgica ao nosso cão estão os perfumes e os produtos de limpeza, mas também são frequentes as alergias ao pólen das plantas, assim como as picadas de insetos, sejam parasitas dele, como as pulgas, ou não, como por exemplo, as vespas.

  • Pólen das plantas: a primavera é a época do ano em que o ambiente tem mais quantidade de pólen. Se o seu cão é alérgico, na primavera vão acentuar-se os sintomas. Além disso, ao passar mais tempo no exterior tem mais probabilidades de entrar em contacto com o pólen das plantas que lhe provoquem alergia. Alguns cães têm uma forte tendência a padecer alergia que só afeta a pele e os veterinários chamam-lhe atopia. Em nenhum dos casos deve ficar parado, mas sim consultar o seu veterinário!
  • Picadas de pulga e produtos antipulgas: como já comentámos, as pulgas podem ocasionar com a picada uma alergia ao seu cão, irritando e inflamando a pele. Além disso, alguns produtos antipulgas também podem causar-lhe reação, motivo pelo qual lhe recomendamos que siga as indicações do veterinário. Também lhe recomendamos prevenir durante todo o ano as picadas, seja com coleiras antiparasitas ou com pipetas.

Como saber se o seu cão tem alergia?

Como há muitos tipos de alergia os sintomas são diferentes, mas deve estar atento ao aparecimento de comichão intensa e à falta de pelo nalguma zona do corpo. Também os vómitos e as diarreias podem ser sintoma de alergia, especialmente alimentar. Em qualquer destes casos, leve o seu cão ao veterinário para que lhe possa fazer as provas adequadas.

Quer estar tranquilo ante a chegada do bom tempo?

  • Uma alimentação rica em antioxidantes e ácidos gordos da série omega 3 fortalece o sistema imunitário e ajuda as defesas a manter afastados determinados vírus e bactérias.
  • Preste bem atenção à pelagem e se muda de comportamento para detetar a tempo transtornos causados por uma alergia, assim o seu veterinário pode dar-lhe o melhor tratamento e o seu cão pode desfrutar plenamente da primavera.